terça-feira, 11 de setembro de 2007

Do adeus juntei os trapos


E quanto mais me reaproximo de você
Mais vejo sua mão a sacolejar
Acompanhar o vento
Dizer-me adeus

Sei que do adeus e das despedidas me sequei
Vi muitos...
Quantas partidas já sobrevivi

Mentira é dizer que não me dói
Incorreto é afirmar que não houve erro
Sempre tão coberta de "e se?"
E sempre tão longe do fazer

Junto trapos como quem quer colar as cores
Seco os prantos
Cessam as dores?
Sinto o vento...tão leves os cabelos...

A falta que faz o teu olhar
Dessa partida que me tem feito pensar
Nos dias em que os tons se faziam tão fortes
Mesmo que houvesse a armadura a me bloquear

Só espero que do adeus
Meu coração se recupere
Quem sabe um "até logo" "até breve"
E eu possa não me afastar dos olhos teus

(Suellen Verçosa dos Santos)

6 comentários:

Vieira Calado disse...

Estou de acordo consigo.
Os olhos são a última coisa que se esquece.
Talvez por ser a primeira que nos aquece... (ou aqueceu, melhor dito).
Beijinhos.

Malco Knoch disse...

Lindo.. mto mesmo..

tah ótima essa menina.. hehehe..
passei viu?! sempre leio tah?!

=***

Joseph Jr. disse...

Amiguinha que lindooo

Samuel Bryan disse...

triste despedida de um sentimento...
=*

GiselleXL disse...

eu desisti de compreender as idas e vindas..
acho q é até melhor assim..
tem certa magia..
e eu tenho a sorte de conseguir destruir algumas coisas simplesmente por não saber lidar com as despedidas..
entao
dxo assim

bju

Irlla Narel disse...

"Junto trapos como quem quer colar as cores
Seco os prantos
Cessam as dores?
Sinto o vento...tão leves os cabelos.."


Lindo lindo! =*