sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Pra nunca esquecer


Sempre quis as cores mais belas e as estrelas mais altas
Porque nem todas as primaveras foram tão belas quanto as que vivi ao lado dele
Ele não me ofertou flores
Nem sequer me surpreendia com loucuras de amor
Mas sabia lidar com minhas dores

Ele não conhecia a força de um grande amor
Talvez nem acreditasse viver um algum dia
Mas descobriu com o passar dos dias
Conforme as horas corriam
Que caminhar lado a lado lhe causava alegria

Ele não precisou das flores
Em nenhum dia
Em nenhum momento
Porque ele regava a sua flor com intensa idolatria
E sabia que dele dependia a beleza dela

Ele não precisava conhecer as melhores poesias
Os melhores livros e escritores
Não precisava impressionar
Nem ensinar nada
Bastava olhar
E tudo no mundo fazia sentido em um milésimo de segundo


(Suellen Verçosa)

3 comentários:

B. disse...

Oi, flor! Que bom que vontou... demoraste, né.
Essa coisa sem nome, esse sentimento, essa falta e talvez até esse costume acaba sendo bom.
Ficou lindo!
Um beijo;

Victor Manfredine disse...

belas palavras.
belo sentimento reprimido.
o/

Samuel Bryan disse...

sentimento reprimido...
tbm senti esse tato nesse texto
bonito.
beijos querida